18 de março de 2013


Dólar atinge maior cotação em três semanas com temor sobre crise na Europa

O dólar negociado no mercado à vista --que é utilizado como referência para as negociações no mercado financeiro-- registra alta nesta segunda-feira (18), com o mercado buscando investimentos considerados mais seguros, como a moeda americana, devido a intensificação da crise na Europa.
Às 11h30 (horário de Brasília), a divisa dos EUA estava cotada a R$ 1,984 na venda, alta de 0,19%. Logo no início do dia, a cotação do dólar chegou aos R$ 1,991 no mercado à vista --maior nível em quase três semanas.
O mercado recebeu negativamente a notícia de que o Parlamento do Chipre adiou para terça-feira (19) a votação de um plano para impor uma taxa sobre os depósitos bancários no país do mar Mediterrâneo, o quinto a receber um resgate do Banco Central Europeu (BCE) e do FMI (Fundo Monetário Internacional) desde o início da crise.
Os credores internacionais exigiram a aplicação da taxa para conceder o empréstimo, de € 10 bilhões (R$ 26 bilhões), aprovado no sábado (16). O anúncio, que foi inédito entre os países que pediram ajuda a União Europeia, preocupou os investidores, aumentando o sentimento de aversão ao risco entre eles.
A alta do dólar deixa os investidores em alerta, pois, na última vez que a moeda ultrapassou R$ 2,00, o Banco Central atuou no mercado de câmbio visando abaixar este valor.
Segundo operadores, a cotação do dólar deve se manter numa banda informal entre R$ 1,95 e R$ 2,00 --nível considerado confortável pelo governo para não afetar as empresas exportadoras e a inflação no país.
O dólar comercial --usado para transações entre o Brasil e o exterior, como importações e exportações e remessas de empresas estrangeiras para seus países de origem-- registrava, às 11h30, alta de 0,10%, cotado a R$ 1,984 na venda.