19 de março de 2013


Chuva no dia de São José é esperança para 9 cidades vítimas da seca em PE


Marcadores da Apac mostram barragem completamente seca em São José do Egito (Foto: Luna Markman / G1)

A crença católica diz que se chover até o Dia de São José, celebrado nesta terça-feira (19), a safra vai ser boa. Quinze cidades pernambucanas que têm o santo como padroeiro estão em situação de emergência por causa da longa estiagem, mas os agricultores aguardam ansiosamente pela chuva, que não cai em bom volume há muito tempo. Os primeiros decretos municipais de calamidade foram reconhecidos pelo Ministério da Integração em março de 2012. A seca atinge 132.750 mil pessoas nesses 15 municípios, segundo a Comissão de Defesa Civil de pernaburco (Codecipe), a maior parte vivendo nas zonas rurais.
G1 rodou 1,4 mil quilômetros, cortando nove localidades do Sertão, Agreste e Mata Norte do estado, e acompanhou o sofrimento de vários devotos a São José. Em Capoeiras, a seca afetou 100% da população - são 19 mil habitantes e ninguém mais consegue plantar. Na cidade, 70% do rebanho foi perdido. Em venturosa , até 40% das fábricas de beneficiamento de leite não estão mais funcionando. Embrejo da madre de Deus, apenas 10% as áreas plantadas de banana, principal cultura agrícola da região brejeira do município, foram mantidas. Na cultura de hortaliças, o desemprego atinge cerca de 40% dos produtores 
Sindicatos de trabalhadores rurais e autoridades das prefeituras municipais pedem mais ações dos governos estadual e federal, como envio de ração animal e carros-pipa, perfuração de poços e construção de barragens. O governo estadual apontou algumas dificuldades operacionais e infomou ações previstas para este ano. Mesmo neste cenário verde desbotado, muitos agricultores continuam com fé no santo, à espera de que brotem novamente as cores no roçado.