20 de março de 2013


Cafeína reduz risco de acidentes na estrada

Embora não substitua uma noite de sono, substância pode reduzir em mais de 60% as chances de um acidente em viagens de longas distâncias

Prevenção natural: o consumo de quatro a cinco xícaras de café por dia ajuda a evitar o desenvolvimento do Alzheimer

Motoristas de caminhão ou outros veículos de uso comercial que consomem cafeína antes de dirigir correm um risco menor de se envolver em acidentes de trânsito do que aqueles que não ingerem a substância — e isso vale mesmo se eles estiverem fazendo uma viagem de distância muito longa ou se tiverem dormido menos na noite anterior. Essas são as conclusões de uma nova pesquisa australiana que foi divulgada nesta terça-feira no site do periódico British Medical Journal (BMJ).

No artigo em que relatam como foi feito o estudo, os pesquisadores afirmam que, embora outros trabalhos já tenham reconhecido que a cafeína é eficaz em melhorar a atenção das pessoas, não estava claro o real impacto da substância em reduzir a probabilidade de acidentes e ferimentos. Especialmente entre motoristas que percorrem longas distâncias e passam por muitos momentos monótonos em posição sedentária.
A nova pesquisa, desenvolvida no Instituto George para Saúde Global, da Austrália, avaliou 530 motoristas de veículos comerciais de carga pesada que costumavam dirigir por longas distâncias e que haviam se envolvido em algum acidente de trânsito no ano anterior ao estudo. Esses motoristas foram comparados a um grupo de controle, formado por outros 517 motoristas que não haviam se envolvido em acidentes no último ano.
De todos os indivíduos que participaram da pesquisa, 43% afirmaram consumir produtos que contêm cafeína, como café, energético ou cápsulas da substância, com o objetivo de manter-se acordado ao longo de uma viagem. Segundo os resultados do estudo, os motoristas que consumiam cafeína para dirigir eram 63% menos propensos a se envolver em um acidente do que motoristas que não ingeriam a substância. 
Cigarro - A pesquisa também encontrou uma relação entre tabagismo e um maior risco de acidentes. Além disso, os autores concluíram que motoristas que já haviam se envolvido em ao menos um acidente de trânsito nos últimos cinco anos tinham uma chance 81% maior de sofrer outro acidente.
De acordo com os pesquisadores, a cafeína, portanto, “pode proteger significativamente contra o risco acidentes de trânsito em motoristas comerciais que viajam longas distâncias”, e isso tem “implicações importantes nas estratégias para melhorar a fadiga desses motoristas”. Porém, a cafeína não deve fazer com que os motoristas deixem de fazer paradas para descansar. “A cafeína é eficaz em reforçar a atenção, mas deve ser usada de forma cautelosa, já que a substância não substitui a necessidade do sono”, diz Lisa Sharwood, coordenadora do estudo.